Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2009

PROVAS DA EXISTÊNCIA DE CIVILIZAÇÕES EXTRATERRESTRES "Disclosure Project" AS 400 TESTEMUNHAS

O Disclosure Project é uma iniciativa que surgiu da reunião de mais de 400 testemunhas idôneas, sendo várias dezenas de profissionais de Inteligência, Defesa e Ciência, de várias áreas do governo americano e de empresas a ele ligadas ou não. De acordo com o porta-voz e diretor da organização, o médico Steven Greer, desde a coletiva de imprensa realizada em 9 de maio de 2001, muito mais gente tem se reunido a seu movimento. Mas ao mesmo tempo, ele teme que medidas também estejam sendo tomadas para a destruição de provas e para desviar a atenção (vide 11/09) do que realmente importa. Para ele, o que começou, em meados da década de 40, como uma operação de acobertamento de fatos que pudessem desestabilizar a sociedade evoluiu para uma “elite” que governa secretamente tudo o que é relacionado com contatos, tecnologia e, por que não dizer, diplomacia extra-terrestre. O que mais chama a atenção é a forma como tal conspiração flui naturalmente, sem a necessidade de grandes esforç

OS FILHOS DO QUINTO SOL

Os Filhos do Quinto Sol Tais como os muitos e diferentes povos e culturas que os precederam no México, os astecas acreditavam que o universo funcionava de acordo com grandes ciclos. Os sacerdotes afirmavam, como fato corriqueiro, que quatro desses ciclos, ou "Sóis", já haviam transcorrido desde a criação da raça humana. Na época da conquista, prevalecia o Quinto Sol, o mesmo Quinto Sol, ou época, que a humanidade ainda vive hoje. A explicação seguinte foi extraída de uma coleção rara de documentos astecas, conhecida como Vaticano-Latin Codex: Primeiro Sol, Matlacli Atl; duração: 4.008 anos. Os que viveram nesse tempo comiam milho d'água, chamado atzitzintli. Nessa época, viviam os gigantes. (...) O Primeiro Sol foi destruido pela água no signo Matlactli Atl (Dez Águas). Foi chamado de Apachiohualiztli (inundação, dilúvio), ou a arte da feitiçaria da chuva permanente. Os homens foram transformados em peixes. Dizem alguns que escapou apenas um casal, prote

A BATALHA ENTRE AS FORÇAS DA LUZ E AS FORÇAS DAS TREVAS ( Quetzalcoatl X TEZCATILPOCA ("Espelho Esfumaçado")

Imagem de Quetzacoatl As forças da luz de Quetzacooatl contra o espelho enfumaçado Tezcatilpoca e as forças das trevas Que tipo de cultura poderia ter cultivado e celebrado esse costume demoníaco? Ali, em Chichen Itza, entre ruínas com mais de 1.200 anos de idade, tinha havido uma sociedade híbrida, produto do cruzamento de elementos maias e toltecas. O altar de Sacrifício de Bebês. O local, criação dos olmecas, a denominada "cultura-matriz" da América Central, tinha mais de 3.000 anos de idade. Era um bloco de granito maciço, de cerca de 1,20m de espessura, tendo nos lados, em alto-relevo, quatro homens usando curiosos adereços de cabeça. Todos tinham nas mãos um bebê sadio, gordinho, esperneando em um pavor claramente visível. A parte posterior do altar era destituída de decoração; já na frente, era representada uma figura tendo nos braços, como uma oferenda, o corpo de uma criança morta. Consta dos anais, por exemplo, que Ahuitzod, o oitavo e mais poderoso impe

O MAPA DO ALMIRANTE TURCO PIRI REIS (Piri Ibn Haji Mehmed)

O mapa de Piri Reis data de 1513 e é o primeiro mapa antigo a mostrar as Americas. O mapa de Piri Reis mostra a costa ocidental da África, a costa oriental da América do Sul e a costa norte da Antártica. O litoral norte da Antártica é perfeitamente detalhado. O mais enigmático não é o fato de como Piri Reis conseguiu desenhar o mapa da região da Antártica tão preciso a 300 anos antes de ter sido descoberta mas o fato de que o mapa mostra hoje o litoral coberto por gelo. O mapa de Piri Reis foi feito pelo almirante Turco Piri Ibn Haji Mehmed. Reis quer dizer almirante e sua paixão era a cartografia. Devido ao seu alto escalão dentro da marinha turca isto lhe permitiu ter um acesso privilegiado na Biblioteca Imperial de Constantinopla. O mapa ficou perdido por muito tempo e só foi redescoberto em 1929 por um grupo de historiadores que trabalhavam no harém do Palácio de Topkapi em Istambul. Ha muitas dúvidas a respeito deste mapa por causa dos seus impressionan