Pular para o conteúdo principal

Kabbalah a criação do universo

O mito da criação do universo na Kabbalah, que é uma tradição mística do judaísmo, é um dos aspectos mais complexos e profundos da tradição hebraica. A criação do universo é abordada através do conceito de **Ein Sof** e dos **Dez Sefirot**. ### Ein Sof e a Criação Na Kabbalah, o ponto de partida é o **Ein Sof**, que significa "Infinito" ou "Sem Fim". Ein Sof representa a essência divina que é infinita, indescritível e além de qualquer compreensão humana. Antes da criação, apenas o Ein Sof existia, preenchendo tudo com sua luz infinita. ### Tzimtzum (Contração) Para que o universo pudesse ser criado, o Ein Sof teve que realizar um processo chamado **Tzimtzum**, que é uma contração ou retração de sua luz infinita. Este conceito, introduzido pelo cabalista Isaac Luria (o Ari), descreve como Deus "contraiu" sua luz para criar um "espaço vazio" onde a criação pudesse ocorrer. Este "espaço vazio" é o lugar onde os mundos e as criaturas poderiam existir, sem serem anulados pela infinita luz divina. ### As Dez Sefirot Após o Tzimtzum, a luz divina começou a fluir de volta para o "espaço vazio" através de dez canais ou atributos chamados **Sefirot**. Estas Sefirot são: 1. **Keter (Coroa)**: Representa a vontade divina e a fonte de todas as outras Sefirot. 2. **Chochmah (Sabedoria)**: A faísca inicial de entendimento e inspiração. 3. **Binah (Entendimento)**: A capacidade de processar e analisar a sabedoria. 4. **Chesed (Bondade)**: Amor e misericórdia. 5. **Gevurah (Julgamento)**: Justiça e força. 6. **Tiferet (Beleza)**: Harmonia e compaixão, equilíbrio entre Chesed e Gevurah. 7. **Netzach (Eternidade)**: Persistência e vitória. 8. **Hod (Esplendor)**: Humildade e submissão. 9. **Yesod (Fundamento)**: Conexão e transmissão de energia. 10. **Malchut (Reino)**: Manifestação e realização no mundo físico. ### O Processo de Criação A criação do universo é vista como um processo contínuo de emanação, onde a luz divina flui através das Sefirot e se manifesta em diferentes níveis de realidade, desde os mundos espirituais mais elevados até o mundo físico em que vivemos. Cada Sefirá representa uma qualidade divina e um estágio no processo de criação. ### Adam Kadmon Antes das emanações das Sefirot, existe a ideia de **Adam Kadmon**, que é o "Homem Primordial" ou "Homem Arquetípico". Este conceito representa uma forma de organização primordial da luz divina antes de ser distribuída através das Sefirot. Adam Kadmon é uma metáfora para a estrutura cósmica inicial da criação. ### As Quatro Mundos A criação é dividida em quatro mundos principais, cada um representando um nível diferente de realidade e emanação divina: 1. **Atziluth (Emanação)**: O mundo mais elevado, onde a presença divina é mais pura. 2. **Beriah (Criação)**: O mundo da criação, onde as almas e os anjos são formados. 3. **Yetzirah (Formação)**: O mundo da formação, onde as estruturas de seres são criadas. 4. **Assiah (Ação)**: O mundo físico, onde a ação e a materialidade ocorrem. ### Referências e Fontes 1. **"Sefer Yetzirah" (Livro da Formação)**: Um dos textos mais antigos da Kabbalah, descreve a criação através de dez Sefirot e 22 letras hebraicas. 2. **"Zohar" (Livro do Esplendor)**: Principal obra da literatura cabalística, que explora em profundidade os temas da criação e as emanações divinas. 3. **"Etz Chaim" (Árvore da Vida) de Isaac Luria**: Uma das obras mais importantes do Ari, explicando detalhadamente o conceito de Tzimtzum e as Sefirot. A Kabbalah oferece uma visão mística e simbólica da criação, enfatizando a interconexão entre todas as coisas e a contínua interação entre o divino e o material.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

OS MISTÉRIOS DO 11 DE SETEMBRO "PORQUE A VERSÃO OFICIAL NÃO PODE SER VERDADEIRA"

TODOS OS MISTÉRIOS FORAM DESVENDADOS NESTE DOCUMENTÁRIO RTP 2 - 11 de Setembro A Grande Farsa (Completo) NÃO FOI UMA AERONAVE QUE ATINGIU O PENTÁGONO ISTO JÁ ESTA PROVADO AUTOR QUE DENUNCIAVA 11/09 É ENCONTRADO MORTO AUTOR QUE DENUNCIAVA O 11 DE SETEMBRO COMO UM PLANO AMERICANO É ENCONTRADO MORTO JUNTO COM TODA FAMÍLIA Phillip Marshall, pesquisador, escritor e ex-piloto da CIA, foi encontrado morto em 2 de fevereiro de 2013, com sua esposa e filhos. Até mesmo o cão da família foi morto. As autoridades tratam a questão como suicídio, mas de acordo com aqueles que o conheciam Phillip, ele vivia com medo desde q...ue ele publicou seu livro "The Big Bamboozle: 9/11 e a Guerra ao Terror", em que culpa o governo dos Estados Unidos para os ataques. Phillip escreveu no livro que a administração Bush, com a cooperação de inteligência saudita, foi responsável pelos ataques terroristas de falsa bandeira 11 de setembro de 2001 às Torres Gêmeas. De ac

ARTUR BERLET E A REVELAÇÃO (UMA CIDADE COM 90 MILHÕES DE HABITANTES) NOSSO PLANETA O PRÓXIMO ALVO?

Aliás, todas as evidências indicam que existe mesmo uma certa raça malévola dos tripulantes de OVNI que tem um grande interesse em destruir a nossa civilização, muito possivelmente para se apoderar da Terra - um verdadeiro paraíso infelizmente tão desprezado e maltratado por nós mesmos! Nada, nada mesmo, impede que certas criaturas, tal como nos falam os relatos bíblicos sobre a "Tentação da Serpente", de tempos em tempos se aliem com algumas nações, fornecendo tecnologia e assim estimulando nos bastidores, e graças à nossa estupidez, o nosso próprio fim! Artur Belet, um brasileiro seqüestrado para exames por tripulantes de um OVNI no Estado do Rio Grande do Sul, ouviu de um deles precisamente isto: "Chegamos à conclusão que vocês não suportarão por durante muito tempo a curiosidade de ver o estrago que fazem todas as suas armas. E quando isso acontecer, não poderão escapar dessa devastação, porque com poucas bombas daquelas (nucleares) contaminarão tod

OS BARCOS AÉREOS DA TRIBO DROPA (também Dropas, Drok-pa ou Dzopa "Trabalho de Wegener"

Nas cavernas mais altas da região de Baiam-Kara-Ula vivem as tribos dropa e ham. Os homens dessas aldeias são de estatura pequena e constituição física muito particular. Sua altura oscila ao redor de 1,30 metro. Até hoje não foi possível relacioná-los a nenhum dos grupos étnicos terrestres e o trabalho dos cientistas é tanto mais complicado quando se sabe que há pouquíssimas referências a seu respeito no resto do mundo. Eis que, decifrando o texto de pedra, Tsum-Um-Nui e seus colegas descobriram claras alusões aos dropa e aos ham: "... Os dropa desceram do céu em seus barcos aéreos. E dez vezes do nascer ao pôr-do-sol homens, mulheres e crianças esconderam-se nas cavernas. Mas, por fim, compreenderam os sinais feitos pelos recém-chegados, que eram de paz. Outras inscrições da tribo ham revelam o desespero daqueles seres quando perderam sua última máquina voadora, que aparentemente se chocou contra alguma montanha inacessível, e sua tristeza ainda